sexta-feira, 18 de abril de 2014

Prisão de Prisco: comandante da PM isenta estado de culpa e descarta nova greve


O comandante-geral da Polícia Militar da Bahia, coronel Alfredo Castro, isentou o governo do estado de qualquer culpa na prisão do líder do movimento grevista da categoria, o vereador de Salvador Marco Prisco (PSDB), e minimizou a possibilidade de uma nova paralisação dos policiais militares.
“A prisão de Marco Prisco foi um pedido do Ministério Público Federal (MPF) por causa da participação dele na greve de 2012. E o governo do estado não tem nenhuma interferência numa determinação federal. Temos um compromisso com toda a tropa no sentido de trazer tranquilidade para a nossa população e cumprir o que foi acordado. Agora é um momento jurídico e não um momento de trazer nenhuma contestação e que não vai voltar à greve”, afirmou.
Coronel Castro disse que tem o apoio da Polícia Militar para que a categoria, descontente com a prisão de um dos seus maiores líderes, volte a cruzar os braços.
“Acredito nos meus policiais. Eles querem trazer tranquilidade para a nossa população e não vejo motivo de retrocesso. Teremos o apoio do Exército e da PM para reestabelecer a tranquilidade que já foi afetada nos dias de greve”, concluiu coronel Alfredo Castro.
       Fonte: Bocão News

Com fim da greve da PM, Micareta está mantida


      Festa momesca será realizada entre os dias 24 e 27

Com o fim da greve da Policia Militar da Bahia, anunciada oficialmente na tarde desta quinta-feira, 17, a Micareta de Feira de Santana está mantida na próxima semana, entre os dias 24 e 27. Havia a possibilidade de adiamento da festa momesca caso a greve dos policiais fosse mantida até as 18h de hoje.
A decisão de aguardar os rumos do movimento da PM havia sido tomada por unanimidade, em reunião entre representantes dos segmentos envolvidos diretamente com a promoção do evento, e o prefeito José Ronaldo de Carvalho, na Sala de Imprensa Arnold Silva, do Centro de Atendimento ao Feirense (Ceaf), durante a manhã.
Cerca de 120 atrações passarão pelos corredores da folia, no Circuito Maneca Ferreira e nos espaços alternativos, durante os quatro dias oficiais de festa. Carlinhos Brown, Daniela Mercury, Claudia Leitte, Aline Rosa, É o Tchan, Katê, Babado Novo, Margareth Menezes, Negra Cor, Chiclete com Banana e Asas Livres são alguns nomes que compõem a grade de atrações, juntamente com Djalma Ferreira, Márcia Porto, Paulo Bindá, Guig Gheto, Galeguinho, Thalita Costa, Luciana Alves, Balanço Gostoso e muitos outros. Este ano a Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer repetirá as dobradinhas de artistas baianos e nacionais e feirenses.
Os blocos vão levar, além de cores e alegria, grandes atrações para a avenida. Já na noite de quarta-feira, 23, antes mesmo da abertura oficial da festa, já estarão nas ruas Trote (Cheiro de Amor), Amigos (Duas Medidas), Coco & Cia (Conect), mais os irreverentes Zero Hora, Amigos do Nico, Só Bebo e Bando Banda, que saem com bandas de sopro. A banda Eva virá com o Abraçaê e Bell Marques arrastará o bloco Skol, na quinta-feira, 24, quando terá ainda a Marrom Glacê com o Point da Malhação, dentre outras.

A sexta-feira terá Harmonia e Bafo/Auê, Filhos de Ghandi com o Da Praça e Saulo com A Tribo. Psirico (Lá Vem Elas), Timbalada (Bafo), Leo Santana (Auê/Tribo), Seu Maxixe (Amigos), Dilma Ferreira (Bacalhau na Vara), Negra Cor (Me Leva Que Eu Vou) e Igor Canário (Beija ou Desce) são algumas das atrações de blocos no sábado, 26. No último dia de folia terá Tomate na avenida, com Bafo/Tribo, Quixabeira da Matinha, com o samba da Quixabeira, e Katê animando a garotada do Zerinho.
        FeiraTV  com informações  PMFS

Fim da greve da PM, 46 mortes violentas foram registradas em Feira de Santana



Durou menos de 48 horas a greve da Polícia Militar da Bahia que provocou saques a lojas e uma onda de violência no Estado. Tropas federais já haviam desembarcado em Salvador quando o governo concordou em dar aos grevistas um aumentou de 6% por meio do reajuste da gratificação de condições especiais de trabalho - o salário-base de um soldado da PM baiana é de R$ 2,3 mil.
Durante os dois dias da greve da Polícia Militar na Bahia, Feira de Santana registrou um grande número de mortes violentas. Foram 40 homicídios, um latrocínio (Roubo seguido de morte) e cinco autos de resistência (morte em confronto com a polícia). O coordenador da polícia civil de Feira de Santana, Ricardo Brito, está fazendo levantamento para elucidar os crimes. Segundo ele, a maioria das vítimas têm passagens pela polícia.

Horas antes, Justiça Federal havia determinado fim imediato da paralisação
Os grevistas conseguiram ainda do governo a reavaliação do plano de cargos e salários, a revisão do Código de Ética da categoria e a retirada de sanções administrativas contra os grevistas. Ainda nesta quinta-feira, 17, a Justiça Federal havia determinado a imediata suspensão do movimento, estipulando multa de R$ 1,4 milhão por dia para as seis associações de policiais do Estado e para seus dirigentes em caso de descumprimento da decisão.
O fim da greve foi decidido em uma assembleia feita à tarde pelos policiais com a presença do arcebispo de Salvador, d. Murilo Krieger. Apesar disso, os 6 mil integrantes das tropas da Força Nacional de Segurança e do Exército enviados para fazer o policiamento das principais cidades baianas durante a greve vão ficar no Estado até o domingo. "Faremos uma avaliação da situação depois do feriado", disse o governador Jaques Wagner (PT).
Segundo a Secretaria da Segurança Pública da Bahia, durante a paralisação foram registrados 39 homicídios na Região Metropolitana de Salvador - entre eles os de dois policiais -, quatro vezes mais do que em dias normais, cuja média é de 9 assassinatos a cada dois dias. O número de roubo de veículos foi multiplicado por dois - de 30 na média de dois dias para 60. Os casos de roubos, arrombamentos e saques a estabelecimentos comerciais também dispararam: em dois dias chegaram a cerca de 60. Segundo a secretaria, 50 pessoas foram presas até a tarde desta quinta.
A solução para greve começou a ser arquitetada na madrugada, quando integrantes do governo prepararam uma proposta para encerrar a mobilização. O documento foi apresentado na manhã em uma reunião que envolveu o comandante-geral da corporação, coronel Alfredo Castro, lideranças grevistas, representantes do governo, da Ordem dos Advogados do Brasil e o arcebispo de Salvador.
Justiça. Enquanto a reunião ocorria, o Tribunal Regional Federal da 1.ª Região, em Brasília, concedia uma liminar pedida pelo Ministério Público Federal, determinando a imediata suspensão da greve e estipulando multa. Anteontem, o Tribunal de Justiça da Bahia também havia julgado a paralisação ilegal e estipulado multa de R$ 50 mil por dia às associações caso a corporação não voltasse ao trabalho.
O encontro entre grevistas e governo foi concluído com uma oração do arcebispo. Krieger ainda seguiu para o local onde os PMs estavam acampados desde a terça-feira, um antigo parque aquático transformado em área de shows, e fez ali mais uma oração. Ficou até que a decisão fosse tomada.
Líder do movimento, o ex-PM, hoje vereador de Salvador pelo PSDB, Marco Prisco leu a proposta do governo. Ao fim, antes de abrir a votação, instruiu os grevistas. "O acordo é bom para a associação", disse. A volta da categoria aos trabalhos foi aprovada por aclamação, aos gritos de "a PM voltou" por parte dos cerca de 2 mil policiais que participaram da assembleia. Segundo os grevistas, o retorno dos policiais às atividades é imediato.

quinta-feira, 17 de abril de 2014

28 mortes confirmadas em Feira de Santana


Entre as vítimas está o policial militar Tiago Maciel, de 35 anos, que trabalhava como fisioterapeuta no programa de Ecoterapia da corporação. Na localidade da Agrovila, no bairro Mangabeira, cinco pessoas foram baleadas por desconhecidos que estavam em um veículo Gol branco, de placa não anotada. Lucas Santos Lopes, 19 anos, não resistiu e morreu.
O irmão dele, Matheus Santos Lopes, 17, e outras três pessoas foram socorridos até o Hospital Geral Clériston Andrade (HGCA).

EUCALIPTO

Também foi assassinado na tarde desta quarta-feira (16), João Paulo Lopes de Oliveira. Ele foi surpreendido por quatro homens que estavam em um veículo Gol branco.


João Paulo foi atingido várias vezes e morreu no local. O crime aconteceu na rua Potiraguá, no bairro Eucalipto.

FEIRA VII


E um homem ainda não identificado foi executado com vários tiros no conjunto Feira VII. Ainda não há maiores informações sobre o crime.

Distrito Maria Quitéria

Joildo Mendonça Novais, 36 anos, que morava na Rua Cruzeiro, no distrito Maria Quitéria, foi assassinado por volta das 15h, na rua onde morava. De acordo com polícia, dois homens em uma moto deflagram os tiros, e fugiram.

Distrito Governador João Durval

Um homem ainda não identificado foi morto a tiros na Fazenda Galhardo, por volta das 15h. Os tiros atingiram rosto e braço esquerdo da vítima. A autoria do crime, ainda é desconhecida.

Jardim Acácia

Leandro Pinto Barros, 27 anos, foi morto a tiros na rua Belo Horizonte, no bairro Jardim Acácia. A vítima morava na rua Paraíso, no bairro Gabriela.

Câmara de Feira aprova requerimento para ‘devolver’ mandato de Chico Pinto


A Câmara de Vereadores de Feira de Santana aprovou ontem pela manhã, quando a greve da PM começava a assustar a população, um requerimento do vereador José Carneiro solicitando a devolução simbólica do mandato de prefeito ao falecido político Chico Pinto.
No próximo mês faz 50 anos que Chico Pinto foi destituído do cargo de prefeito pela Ditadura Militar.O cargo foi ocupado pelo então vereador Joselito Amorim.
                       Fonte: Blog da Feira

FAÇA SEU COMENTÁRIO


Faça seu comentário

/* -------------- * HTML PARA SITES* ------------------- */